Palácio dos Bandeirantes abre exposição com obras do modernista pernambucano José Cláudio da Silva

EventoPresencial

SegmentosArtes Visuais

Data 23/11/2021 a 31/03/2022

Horário 10:00 às 16:00

Funcionamento Visitas acontecem de hora em hora (é necessário agendamento para grupos acima de 5 pessoas)

Local Palácio dos Bandeirantes- Avenida Morumbi, 4500 - Portão 2 - Morumbi - SP

Classificação Indicativa Livre

Valores Gratuito

E-mailmonitoria@sp.gov.br

Site http://www.acervo.sp.gov.br/index.html

Acessibilidade

  • Física

Programação sujeita a alteração (confirmar data e horário no site do organizador)

A exposição A Amazônia de José Cláudio da Silva: a bordo do Garbe, com Paulo Vanzolini reúne 100 pinturas em óleo sobre tela do artista pernambucano José Claudio da Silva realizadas durante uma expedição científica, em 1975, liderada por Paulo Emílio Vanzolini, famoso compositor e zoólogo, diretor do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo, que tinha por objetivo debater sobre a importância do meio ambiente e da preservação da floresta. O artista viajou por 60 dias a bordo do barco Garbe (cuja construção contou com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP), pintando paisagens deslumbrantes, a imensidão dos rios, as comunidades locais e a diversidade da fauna e flora. Seu importante registro possibilita reflexões sobre as transformações que aconteceram na região no passar desses 50 anos. Ao interpretar essas pinturas do ponto de vista da contemporaneidade, o Acervo dos Palácios pretende propiciar novas reflexões e contribuir para a conscientização das responsabilidades ambientais da sociedade.

Depoimentos do artista complementam a exposição e narram a experiência do pintor, que também foi escultor, gravador e escritor. Nos anos de 1950 se dedicou à arte integrando-se no Atelier Coletivo da Sociedade de Arte Moderna de Recife. Na Bahia, trabalhou com Mario Cravo, Carybé e Jenner Augusto, três grandes artistas da Arte Moderna brasileira. Em São Paulo, frequentou os principais artistas modernistas, o ‘clubinho’, e trabalhou com Di Cavalcanti, Arnaldo Pedroso D’Horta e Lívio Abramo. Participou de várias edições da Bienal de São Paulo, que lhe conferiu alguns prêmios.

Veja também
+Programação